quarta-feira, 23 de março de 2011

Artur Agostinho 1920-2011

Artur Fernandes Agostinho foi um jornalista português que nasceu no Natal de 1920, e morreu ontem (22 de Março) pela manhã.

Quando a televisão ainda não existia, a rádio era a principal forma de comunicação em Portugal, e aos 25 anos, Artur Agostinho entrou para a Emissora Nacional, depois de ser locutor amador.

Foi um dos principais impulsionadores do jornalismo desportivo em Portugal, tendo ficado conhecido em 1966 por dizer os golos que Eusébio marcava ao serviço da Selecção, e pelos relatos da Volta a Portugal em bicicleta. Dirigiu também o jornal Record entre 1963 e 1974.

Nos primeiros anos da televisão portuguesa, Artur Agostinho tornou-se uma das principais figuras dos ecrãs da RTP, entrando já neste século em séries como "Ana e os Sete" ou "A Casa da Saudade". Apresentou também o primeiro concurso de Portugal; "Quem Sabe, Sabe". Entrou também no cinema, onde demonstrou novamente o seu amor pelo futebol ao entrar no filme "O Leão da Estrela".

Depois do 25 de Abril, Artur Agostinho é deportado para o Brasil, pois era suspeito de compactuar com o Antigo Regime. Foi aí que deu aulas e onde entrou para a Rádio Globo, de onde tirou ideias para o jornalismo desportivo.

Em 1980, e de volta a Portugal, trabalhou na Rádio Renascença, onde mais tarde criou Bola Branca, o programa desportivo da RR.

Artur Agostinho revelou-se também escritor, fazendo romances como "Abutres" e "Ninguém Morre Duas Vezes".

Foi premiado com o prémio de mérito e excelência na XV gala dos Globos de Ouro da SIC, e três dias depois de completar 90 anos foi condecorado por Cavaco Silva como membro da Ordem Militar de Sant'iago da Espada.

O funeral já se realizou hoje em Lisboa, onde nasceu e morreu.
Foi uma das figuras mais ilustres de Portugal e já recebeu muitas homenagens de antigos colegas de trabalho.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Agradecimentos

Há muito tempo que não escrevia neste blogue (quase dois anos). No outro dia vim ver como estava e vi a quantidade de visitas. Países que provavelmente tem montes de imigrantes e outros que simplesmente falam português. Agradeço a todos eles, e vou tentar falar e blogar com mais frequência.

PS: Tenho um novo blogue: http://rascunhoseoutrascoisas.blogspot.com/, que não é de biografias nem nada, mas é engradeço na mesma.