terça-feira, 19 de maio de 2009

Damião de Góis


Damião de Góis nasceu no dia 2 de Fevereiro de 1502, em Alenquer.

Devido à morte de seu pai, Damião de Góis viveu durante dez anos na corte de D. Manuel, com a função de Moço da Câmara, que significava guarda do quarto do Rei. Já no reinado de D. João III, foi secretário da Feitoria portuguesa em Antuérpia (Bélgica).

Fez várias missões diplomáticas entre 1528 e 1531. Em 1533, abandonou o serviço oficial do governo português e passou-se a dedicar ao humanismo. Tornou-se grande amigo do humanista holandês Desiderius Eramus, com quem conviveu em Basileia (Suíça) em 1534. Estudou em Pádua (Itália) entre 1534 e 1538. Instalou-se mais tarde em Lovaina (Bélgica), por um período de seis anos.

Damião de Góis foi prisioneiro durante as invasões francesas a Flandres, sendo mais tarde libertado a pedido de D. João III que o trouxe para Portugal. No ano de 1548 foi nomeado guarda-mor dos Arquivos Oficiais da Torre do Tombo e em 1558 foi escolhido pelo Cardeal D. Henrique para escrever a crónica do Rei D. Manuel I.

Teve um trágico fim de vida. Depois de ser preso pela Inquisição e transferido para o Mosteiro da Batalha, a família abandonou-o e foi encontrado morto em sua casa, em Alenquer, no dia 30 de Janeiro de 1574. Pensa-se que terá sido assassinado. Foi enterrado na Igreja de Santa Maria de Várzea.

As suas crónicas mais famosas são Crónica do Felicíssimo Rei Dom Manuel e Crónica do Príncipe Dom João.

1 comentário:

dyeve disse...

wow muy interesante escribir muy bien, felicitaciones! y las fotos son grandes